sexta-feira, 6 de julho de 2018

um grito, um desabafo

Antes de começar, dá play no Ney aí e entra nessa vibe comigo.



Estava ontem no transito vespertino carioca quando me deparo com uma cena curiosa. Um som alto, bem alto (tipo batidão de volta de praia, sabe?) no carro ao lado me chama atenção. Tocava Ney.

Meus olhos se voltam para a direção do som. Pela janela do carro vejo uma senhora beirando os 70 anos, de cabelos brancos, desarrumados e esvoaçantes. Mil balangandãs em seu braço esquerdo, que estava para fora da janela. Blusa bem colorida. Cantando alegremente pra quem quisesse ouvir: minha vida, meus mortos, meus caminhos tortoooos

Pensem numa senhorinha alegre e cantante. Multipliquem por 5. Acrescentem Dercy.

 + 


Maravilhosa, apenas.


Eu olhei, admirando. O motorista na minha frente olhou, admirando também. O motorista atrás deve ter olhado pq gente, não tinha como não olhar tamanha fofura.

Quero ser que nem ela quando crescer. Enquanto não cresço, tô aqui na sofrência. Ops, não, péra... Eu PRECISO ser quem nem ela AGORA porque eu não aguento mais nessa vida de deus me incomodar com a opinião alheia.

Sabe quando você está ali de boa, amamentando seu bebê sem incomodar ninguém, dando o seu melhor e aí te mandam uma voadora bem na sua jugular e você desmorona na hora? Pois é, foi exatamente isso que aconteceu.

O pior de tudo foi isso ter vindo de uma pessoa que você considera pacas. Inteligente, influenciável, conhecida no ramo. Trabalha com crianças.

Fui criticada por ela. Criticada por amamentar meu bebê de 1 ano e 3 meses. Criticada na frente de outras mães. Fui julgada pela amamentação prolongada, que até então eu nem sabia que era prolongada né, já que a OMS aconselha a amamentação até pelo menos os 2 anos completos. Eu nem cheguei nesse número. Eu me senti mal. Eu quis ir embora. Doeu. Tá doendo até agora.

Além da crítica pessoal, que já me deixou abalada, a pessoa teve o desserviço de jurar mentiras. Afirmou que amamentação prolongada era prejudicial ao bebê, que atrapalhava a fala e a dentição.

Eu não reagi. Ninguém reagiu.

Se fosse a senhorinha good vibes cantante ali de cima, teria resolvido de outra forma...



O que me importa é que eu não fui vencida. Continuo amando minhas escolhas.

Molieres, vamos nos unir. Cada uma amando suas escolhas e respeitando as da coleguinha ao lado.

Juntas somos mais fortes 

4 comentários:

  1. o mundo anda muito chato. É interessante cada pessoa ter uma opinião e tal, massss quando querem impor o que pensam para os outros... Meu Deus que chatice

    ResponderExcluir
  2. Chegar na maciota e falar numa boa é uma coisa, né? Agora fazer a amiguinha se sentir constrangida e acuada é outra.
    Abraço solidário e continue amamentando até quando você quiser.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. 1 ano e 5 meses e continuo firme e forte na amamentação, mesmo voltando a trabalhar... é um momento de conexão entre eu e meu filho... muito melhor amamentação prolongada do que chupeta, que estraga a arcada dentária da criança... eu hein?

    ResponderExcluir
  4. Eu li seu texto amamentando uma bebezona de 2 anos e 1 mês, segue o baile enquanto estiver bem para as duas, ninguém tem nada com isso.

    ResponderExcluir