sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

viajando grávida aos 7 meses

Antes de mais nada, uma pausa para foto... Estávamos assim na viagem:


31 semanas, barrigón crescido e aparecido, umbigo 3D super tendência dando o que falar, linha nigra torta, nova moda entre as grávidas.

Hoje estamos um pouco maior, com 34 semanas e uma biscoitinha mega espoleta que mais parece um óvni na minha barriga. Atualizarei as fotos no próximo post =)

Agora vamos ao que interessa... Hoje é dia de post diqueiro pra quem pensa em viajar com um bebê na barriga. Eu mesma antes de ir li 83479248 blogs sobre o assunto e peguei boas dicas pra evitar perrengue.

Fomos pra terra do tio Sam, NYC especificamente. Marcamos a viagem em junho, mês que engravidei, mas só descobrimos o que estava rolando no meu útero no mês seguinte. De cara encaramos um problema: estaria com 7 meses na viagem. G.O. maravilha disse que, se decorresse tudo bem ao longo da gravidez e não apresentasse nenhum risco, a viagem estaria mais certa que gabarito de prova. E foi o que aconteceu. Fiz uma bateria de exames dias antes de embarcar. Na ida eu estava com 29 semanas e 4 dias e na volta com 31 semanas e 5 dias.

O que mais uma mulher escuta é palpite, né não?! Ouvi miséria antes de pisar no avião: vocês são loucos, a bebê vai nascer lá, vai antecipar o parto, você não vai aguentar, sua gestação já é avançada... Mas a gente foi mesmo assim. Eu estava bem, a bebe estava bem, a médica liberou. Não existia motivo pra não ir.

A viagem foi ÓTIMA! E eu sambei na cara dos palpiteiros com fotos empinando o barrigão.
No geral em nossas viagens, estamos acostumados a fazer batidão, acordar cedo, passar o dia todo andando e só voltar pra dormir. Lógico que nessa viagem foi diferente. Como tínhamos tempo na cidade, optamos por fazer as coisas mais ´lentamente´ e deixamos pra fazer compras nos dias de chuva (foram 3 dias chuvosos na cidade).

Marido já conhecia a Big Apple, eu não, e amei! Teve neve, teve xixi o tempo todo, teve barriga terremoto de magnitude 9 na escala Richter, traduzindo: bebe mexendo muito e reinando no frio e, claro, teve enxoval.

Foram 14 maravilhosos dias longe do calor e da zika! Gente, sério, 14 DIAS SEM PASSAR REPELENTE, 14 dias sem ficar com a pele colando, 14 dias sem me preocupar com mosquito. Não tem preço.

Grávidas não são prioridade nos Estados Unidos. Nenhuma regalia, nenhumazinha de nada mesmo. Enfrentei todas as filas existentes no universo, inclusive na própria imigração. O engraçado é que pessoas com animais de estimação têm prioridade, mas grávidas ou pessoas com crianças de colo não. Passou uma moça com seu cachorrinho na fila prioritária enquanto eu e a mulher atrás de mim que estava com uma bebéia fofa chorando mt ficamos lá no perrengue... Esse mundo está muito ao contrário.

Conheci todos os banheiros da cidade. Fazia xixi O TEMPO TODO (quer dizer, continuo fazendo néammm). E estava com 300 camadas de roupa, parecia uma cebola. Tinha que tirar tudo, fazer xixi, botar tudo de novo... Acho que essa foi a parte chata da viagem. E junto com o xixi, enfrentei todas as filas tamanho GG de banheiro, inclusive na Broadway. Mulher é um bicho que vaza, né não?! Pra evitar maiores problemas, passei a ir ao banheiro antes de estar apertada.


O hotel
  1.  Pegamos um hotel com cozinha, o que foi maravilhoso, já que chegava cansada e comia no quarto, sem precisar sair. Um grande facilitador.
  2.      Na maioria dos dias tomávamos café no quarto e saiamos em seguida, não muito cedo. Voltávamos umas 18h, quando já estava escuro e ficávamos, jantávamos no quarto. Quando eu estava mais bem disposta, até rolava jantar fora, mas foram poucas vezes;
  3.     Optamos por um hotel bem localizado (bem próximo a Times Square) que fosse de fácil locomoção pro restante da cidade. Caminhávamos ou pegávamos metrô (que funciona muito bem por sinal, conectando a ilha toda) e na volta, como eu já estava cansada, voltávamos de uber ou taxi (fora do horário do rush os preços são super acessíveis e vale muito a pena... Já no transito intenso, o valor da corrida pode até dobrar – ah, taxistas recebem gorjeta). O único problema é que a maioria das estações do metro só é acessada através de escada, muita escada, escada pra sempre. Botei as pernas pra trabalhar minha gente.

O voo
Como relatei nesse post aqui, resgatamos o voo por milhas antes de estar grávida (na esperança de que estivesse na época da viagem). A surpresa foi que eu não estaria com uma barriguinha de no máximo segundo tri, mas sim um barrigón de 7 meses. Fizemos um upgrade pra linha Comfort+, que tem maior espaço entre as pernas e reclina um pouco mais. Não chega a ser uma executiva maravilha, mas ajuda muito em relação a econômica normal pra quem já está com uma barriguinha considerável e uma bexiga solta. Se foi tranquilo? Não, mesmo na Comfort+ foi desconfortável. Tive dor na coluna, inchei mesmo usando meia Kendall de média compressão, levantei pra ir ao banheiro umas 7 vezes... Foi chatinho, porém suportável. Repetiria a dose pq viajar é muito bom (ainda mais fugindo do calor). Mais uma vez, em voo de cias aéreas internacionais, gravidinhas também não são prioridade (diferente dos nacionais, fizemos escala no Brasil e o atendimento foi outro. Vamos aplaudir de pé).

A saga pelo seguro viagem
Li e reli 48294 blogs atrás de uma informação sobre seguro viagem para grávidas. Olha eu toda iludida achando que o seguro viagem de sempre tava bom. Nada disso, tem que ser um seguro especifico. Os seguros comuns dizem: ’claro que a gente cobre gestante’, mas no contrato nunca tem escrito nada a respeito e já li situações de gravidinhas em que não cobriu intercorrências relacionadas à gestação. Por via das duvidas, optamos por fazer um seguro especifico em que tudo estivesse detalhado. O problema maior foi: a grande maioria deles (que não são tão simples de achar assim) só cobrem até a 28ª semana de gestação. Olha eu lá indo com 29 e meia e voltando com quase 32. Socorro.

Após muito pesquisar, conseguimos um seguro que cobrisse até a 32 ª semana para gestantes de até 40 anos. Fechamos na esperança de não precisar usar. Taí uma das coisas na vida que a gente investe rezando pra não precisar do serviço. Grazadeus deu tudo certo e nem chegamos a tirar a papelada da pastinha.

Prós e contras de viajar de barrigão
Não poderia terminar esse post sem falar disso né.
Acho que os contra são: menos disposição, muito xixi e maior desconforto no voo.

Os prós foram: desfilar de barrigão e tirar altas fotos (auge da felicidade) e, no meu caso, fugir do calor absurdo do Hell de Janeiro para o frio (a maioria dos dias pegamos em torno de 7 graus a tarde, porém, em alguns poucos, rolou temperatura negativa que atrapalhou de leve).

Como passei muito mal no inicio da gravidez, não viajaria no primeiro tri, na realidade, não viajaria antes do 5º mês, que foi quando comecei a melhorar. O segundo tri (principalmente entre o mês 5 e 6) é realmente o ideal, bem tranquilo, ainda estamos com boa disposição, ainda não tem xixi toda hora e já existe uma barriguinha. O terceiro, embora mais cansativo, tem a fase barriga exibicionista, o que torna a viagem bem interessante.

Semana que vem vou fazer um super post sobre o enxoval. Por sinal, tenho que atualizar os milhares de assuntos antes que Dona Biscoito decida dar o ar da graça. Bêjo derretido de calor pra vocês.

21 comentários:

  1. Sua barriga está perfeita... Lindo barrigão!
    Tenho muita vontade de conhecer Nova York. Um dia se Deus quiser.
    Vem contar pra gente sobre o enxoval! rsrs Adoro!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thata, juro que alguma hora eu termino o textão do enxoval kkkk
      está indo por partes =)
      bjss

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Que barriga mais linda. :) Que bom que curtiu muito a viagem, imagino como tenha sido mágica.
    Daqui a pouco a biscoitinha estará nos seus braços, que bênção.
    Beijos
    Ptt (Fiv-Amadurecimento da Alma)
    http://fivamadurecimentodaalma.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tá chegando! acho que esse mês ainda ela estará por aqui =D

      Excluir
  4. Eu <3 NY! Adorei o relato da viagem. Que loucura isso de não rolar prioridade por lá. Que bom que aproveitaram muito - até conhecer todos os banheiros da big apple rende histórias! Bjsss

    ResponderExcluir
  5. Que barriga linda !!! Ta chegando a hora né ... super na torcida para que tudo transcorra maravilhosamente bem. Beijão

    ResponderExcluir
  6. Que legal!!
    Que bom que não deu bola para os palpites!!@

    Bjus

    http://esperando-esperar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se a gente for escutar todo mundo, ficaremos trancafiadas em casa eternamente, né kkk ninguém merece

      Excluir
  7. Barriga linda!!!! s2s2s2s2 Quero detalhes do enxoval!!! e dicas e dicas!!! Como disse melhor fazer mais posts antes que biscoitinha chegue!!

    ResponderExcluir
  8. Ta lindo esse barrigao hein
    Meu sonho fazer uma viagem assim
    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nise, que bom que apareceu =)
      mande notícias! Saudades do seu blog!

      Excluir
  9. Ai que delícia de viagem!! E que barrigona linda...tá quase chegando né?? Depois mostre as comprinhas pra gente babar!! kkkk
    bjos

    ResponderExcluir
  10. Fugir do calor do hell de janeiro já foi um baita ponto positivo, não sei como essa biscoitinha nao ficou pronta com temperatura tão alta (piadinha rsrs)!
    Ansiosa pela foto do enxoval!
    Ah sobre prioridade pra gestante e mamae com criança de colo, aqui em portugal vigorou uma lei esse ano (pasme) sobre isso, pois tbm não havia.

    Bjs
    Esposaemamae.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha ri da piada, juro XD
      que bom que Portugal aderiu!!! Muitos países europeus também não dão prioridade pra grávidas né o.O

      Excluir